Gestão Empresarial

4 erros que você não pode cometer na gestão financeira de sua empresa

4-erros-que-voce-nao-pode-cometer-na-gestao-financeira-de-sua-empresa.jpeg

Uma boa gestão financeira é um dos pilares de sucesso de qualquer empreendimento. Quando o gestor analisa os números do seu negócio, consegue medir a saúde financeira da empresa e direcioná-la para chegar ao destino que havia planejado.

Apesar da importância de manter as finanças sob controle, muitos empreendedores acabam caindo nas armadilhas de uma má gestão e cometendo erros básicos, como não controlar as entradas e saídas de dinheiro, não realizar um bom planejamento ou mesmo não automatizar os processos.

E se os negócios não vão bem, é hora de revisar as finanças e a forma como estão sendo planejadas, organizadas e controladas. Por isso, levantamos 4 erros de gestão financeira que acabam comprometendo o bom andamento dos negócios. Acompanhe este post e fique atendo para não cometê-los!

1. Não possuir um sistema de gerenciamento

Processos manuais e mecânicos levam a erros e falhas, abrindo margens para distorções e falsas interpretações.

Adotar um sistema de gerenciamento possibilita que todos os processos e dados financeiros da empresa passem a ser unificados e centralizados, o que aumenta a segurança das informações e fornece ao gestor números confiáveis e atualizados.

Ao automatizar a rotina financeira da empresa, todas as informações geradas nos demais setores organizacionais passam a fazer parte de um único sistema, otimizando os processos, reduzindo os custos e aumentando a produtividade.

Assim, as informações geradas nas áreas de vendas são automaticamente compartilhadas com a parte de estoque, faturamento, compras e demais setores.

2. Não registrar todas as operações realizadas

Muitos gestores acabam se descuidando e não mantendo um registro periódico e atualizado sobre todas as operações realizadas pela empresa. Esse é um erro bastante comum!

Todas as movimentações realizadas pela organização devem ser registradas e controladas, seja por meio de um software de gestão, de planilhas de Excel ou mesmo processos manuais.

Se o gestor desconhece quais produtos estão tendo maior demanda ou mesmo aqueles que não estão tendo saída, fica difícil saber o quanto de dinheiro entrou no caixa, o quanto saiu para pagar as contas, quais produtos têm disponível em estoque, qual é o volume de operações em determinado período (dia, mês ou ano), entre outros.

De nada adianta investir em um bom sistema de gerenciamento se os dados utilizados não forem atualizados. E, para isso, é preciso manter registro de todas as operações realizadas pela empresa.

3. Não fazer um fluxo de caixa

Você sabe quanto dinheiro tem disponível no seu caixa hoje? Sabe o quanto é proveniente de vendas ou de aporte de investimentos? E o quanto tem de contas a pagar? E a receber? Você sabe se o prazo dado aos clientes está sendo vantajoso para o ciclo operacional?

Se você está tendo dificuldades para responder essas perguntas, está na hora de rever a forma como está controlando o dinheiro da empresa e, principalmente, registrando as informações no fluxo de caixa.

O fluxo de caixa é um importante indicador estratégico, que permite a verificação de possíveis problemas financeiros que estejam prejudicando o crescimento da empresa.

É preciso que todas as entradas e saídas de dinheiro sejam registradas e categorizadas, além do valor das contas a pagar e a receber. Mantendo o registro de todas as informações financeiras, é possível antecipar os gastos dos próximos meses, além das receitas que serão obtidas.

Assim, o empreendedor pode planejar, em curto, médio e longo prazo, quais são os melhores investimentos para a empresa.

4. Não ter controle de estoque

Estoque parado, dinheiro parado. A má gestão de estoque pode comprometer seriamente o capital de giro da empresa e gerar sérios problemas financeiros.

Muitos gestores acabam abarrotando o estoque com produtos sem demanda ou mesmo deixando faltar mercadorias que possuem procura. Ambas as situações são fatais para qualquer entidade. O estoque da empresa deve estar sempre registrado e atualizado de acordo com as vendas e com as compras realizadas.

O controle eficiente de produtos estocados determina os preços que devem ser praticados na venda, pois é preciso saber a quantidade de cada item, a data de validade, os custos de armazenamento, o preço de aquisição e demais aspectos para uma precificação correta.

Gostou das dicas? Então compartilhe este artigo nas suas redes sociais!

Sobre o autor

Fortes Contabilidade

Deixar comentário.

Share This
Navegação